sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Um grande sinal no céu e uma visão escatológica


Saudações em Yeshua, shalom aleikhem!

Conheço um homem que na manhã do dia 05/06/1972, numa segunda-feira sonhou que via no céu “Um Grande Sinal da Volta do Adon Yeshua”.

O sonho foi assim:

Ele estava olhando para o céu, que estava azul como num dia muito lindo. De repente, apareceram nuvens coloridas, que formavam uma estrela, bico após bico, no sentido horário, isto é, como se cada bico fosse uma determinada hora. E no meio da estrela se podia ver uma caravela, tal qual aquelas que foram usadas pelos navegadores, no descobrimento dos continentes americanos, o chamado “Novo Mundo”. Ele observava tudo isso, ao mesmo tempo em que chamava pelos seus parentes, para que eles vissem também “um grande sinal da volta de Yeshua”. E quando a estrela já estava com cinco bicos completos, pode notar que ainda faltava um ou dois bicos para que a estrela se completasse. Então acordou maravilhado com aquela visão, e pensando nisso, perguntava para ele mesmo, o motivo pelo qual a estrela não se completara. E ao mesmo tempo ele fazia relação da estrela do seu sonho com um dos símbolos de Israel - uma estrela de seis bicos na sua bandeira. Pensando ainda no sonho dirigiu-se ao local de seu trabalho. E ao passar por uma banca de jornal, uma notícia lhe chamou a atenção:


relojes web gratis


“GUERRA DOS SEIS DIAS ENTRA NO SEXTO ANO”.

Tratava-se de uma palavra do ditador da Líbia (Muhammar El-Kadhafi) que dizia: “Não sei quem impede, mas sei que o inimigo (Israel) tem que sair nem que seja a pedradas”. Isso era porque Israel na “guerra dos seis dias” se apossou de vários territórios, inclusive de Jerusalém. O que o ditador não sabia era que o D'us de Abraão, de Isaac e de Jacó foi quem lutou por Israel e que foi Ele mesmo que impediu que os inimigos de Israel expulsassem os israelitas dos territórios ocupados. Quando ele leu aquela notícia, alguma coisa dentro dele dizia que tudo aquilo tinha relação com o sonho e com a visão maravilhosa daquela estrela.

Naquele dia, 05/06/1972 completava exatamente cinco anos (os cinco bicos da estrela) que Israel iniciara a luta da vitória sobre as quatorze nações inimigas, na guerra dos seis dias em Junho de 1967. Aqueles cinco anos, bem como os seis dias da guerra, estavam literalmente ligados aos bicos da estrela do sonho. Mas foram necessários mais de vinte e cinco anos para que ele pudesse entender completamente aquela maravilhosa visão que tivera.

Segundo ele, certa vez estava em uma reunião de oração. Quando uma pessoa presente, disse ter visto uma caravela e uma luz que a guiava. Isso aconteceu quando ele cantava um hino em hebraico. E logo após, uma pessoa usada pelo Ruach HaShem, em profecia, lhe dirigia a palavra dizendo que ainda lhe revelaria todo o significado da visão. E isso somente veio acontecer na década de noventa, quando D'us lhe falou que os seis dias em que o povo de Israel cercou a cidade de Jericó, também estavam relacionados com os bicos da estrela, com a guerra dos seis dias e com os sete anos da última semana de anos da profecia de Daniel, referente as setenta semanas de anos. (Josué 6:1-5; Daniel 9:24-27; Apocalipse 8:1-2).

· Na tomada de Jericó os sete sacerdotes tocaram os chifres (shopharot) de carneiros no sétimo dia e deram sete voltas em torno da cidade, o povo gritou e as muralhas ruíram. (Josué 6:15,16).

· Na guerra dos seis dias, Israel obteve a vitória após seis dias de batalhas e no sétimo dia descansou.

· E no livro de Apocalipse, Yochanan, João, viu o Cordeiro (Yeshua) abrir os sete selos do livro que estava na mão daquele que está assentado sobre o trono (D'us).

Entendemos que cada selo aberto do livro, diz respeito ao início de cada ano, dos sete que faltam para se cumprir, ou seja, a septuagésima semana de anos descrita em Daniel 9:27. E que exatamente após a abertura do sexto selo (Apocalipse 6:12-17) se cumprirá a grande profecia de Joel 2:30,31; sobre a lua se tornar cor de sangue e o sol ficar em trevas (negro), antes que venha o grande dia do Senhor, o último ano da septuagésima semana. Como também o completo derramamento do Ruach HaShem, Espírito de D'us sobre toda a carne. (gentios e judeus) Joel 2:28-30,32 e Apocalipse 7:4,9-17. E Logo após a abertura do sétimo selo, os sete anjos preparam-se para tocar suas trombetas. (Apocalipse 8:1-6).

Acessem esse vídeo e ouçam o toque do shophar:



Exatamente no último ano ou O Dia do Senhor, a semelhança dos sete sacerdotes que tocaram os shopharot no último dia do cerco de Jericó, os sete anjos tocarão as suas trombetas, consumando assim, com os juízos de D'us sobre a Terra expulsando Satanás e todos os seus demônios de toda a criação prendendo-os no abismo. E entregando todos os reinos quer nos céus, quer na Terra ao Messias Yeshua. (Apocalipse 11:15; 20:1-6; Filipenses 2:9-11).

Já identificamos o significado dos bicos da estrela, os quais falam de dias, anos ou tempos relacionados com o fim dos dias. São sinais dos tempos. Jerusalém não está sendo governada por gentios. (Lucas 21:24). Resta-nos identificarmos o significado da caravela.

As caravelas marcaram épocas nos descobrimentos das Américas ou do “Novo Mundo”, como assim passaram a ser chamados os continentes americanos. Se por ventura alguém fizesse a seguinte pergunta:

- Que relação tem as caravelas dos descobrimentos com a caravela do sonho?

Então a resposta para essa pergunta seria a seguinte:

"Nós estamos às vésperas de um novo descobrimento, ou seja, muito em breve Yeshua (Jesus) voltará para inaugurar “UM NOVO MUNDO” para toda a humanidade. Trata-se do Reino de D'us que prevalecerá contra os reinos humanos e também contra o reino das trevas, de Satanás." (Daniel 7:13-14,18e 27; Apocalipse 19:11-21; 20:1-15).

O patriarca Noé e sua família foram salvos do dilúvio, através da arca, que também, a estrela do sonho faz alusão. E agora em nossos dias, Yeshua é a LUZ que conduz a caravela, o único meio de transporte para conduzir o homem à salvação, em outras palavras, a caravela é a grande companhia de redimidos que crêem no nome de YESHUA (Jesus) para sua salvação. (João 3:16). Sim, a Kehilá, Congregação do Senhor será salva de todos os juízos de D'us sobre este mundo, descritos no livro de Apocalipse e demais livros da Bíblia (Apocalipse 3:10). Os redimidos estarão livres de todo mal em suas moradas eternas, na nova Jerusalém. (Apocalipse 21:2,3,10,11).

Foram as caravelas que serviram de meio de transporte para os primeiros imigrantes do novo mundo, às Américas. Convém deixar registrado a letra de uma pequena canção:

“O Barquinho”

Nossa vida aqui,
É qual barquinho
Navegando em alto mar.
As aflições e problemas,
Como ondas a assustar,
Mas se Yeshua, o timoneiro,
Está a nos guiar,
Nenhuma tempestade
Nos faz naufragar.
No porto seguro
Mui breve chegarei.
Já livre de perigos,
No céu estarei.

Autor: PCSV.

Yeshua, o Messias após ter conduzido os seus redimidos para as moradas celestiais, voltará outra vez, mas desta vez visivelmente após os sete anos da última semana de Daniel 9:27. E Ele mesmo com todos os seus redimidos conduzirão o restante da raça humana para um novo mundo no seu reino sobre todas as nações, tendo Jerusalém terrestre por capital do planeta. Pois Ele assumirá o trono de seu pai, o rei David. (Mateus 1:1; 20:30; Marcos 10:47; Hebreus 1:1-9).

Para os que nele crêem no tempo presente até ao arrebatamento da Kehilá (I Tessalonicenses 4:16, 17), para os mártires da tribulação (os sete anos finais) e também para os cento e quarenta e quatro mil israelitas selados, descritos no livro de Apocalipse, no capítulo sete, o novo mundo será a cidade celestial. E para todos os habitantes da Terra, que sobreviverem aos juízos de D'us descritos no Apocalipse, o novo mundo será o seu Reino de Paz e Justiça sobre toda a Terra. (Apocalipse 11:15).

Jerusalém como sinal dos tempos:

Disse Yeshua: “... e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem. (Lucas 21:24).

Em 1967, na guerra dos seis dias, Israel descansou no sétimo dia, como já falamos. E por fim conquistou o direito de possuir Jerusalém a qual deixou de ser “pisada” (dominada) pelos gentios. Parcial e temporariamente cumpriu-se uma profecia de Yeshua, conforme citação acima, com relação aos tempos dos gentios pisarem (dominarem) Jerusalém. Esse acontecimento é na realidade um grande sinal tanto para os redimidos dentre judeus e gentios, como também para Israel, sobre os tempos do fim . Agora Jerusalém está sendo pisada (dominada) parcial e temporariamente pelos judeus, todavia, D'us permitirá que os gentios, pela última vez pisem (dominem) Jerusalém. Isso se dará quando os exércitos do antimashiach (besta) invadirem Israel e a cidade amada (Apocalipse 11:2).




E somente quando o Messias Yeshua voltar em glória com os seus redimidos que foram arrebatados da Terra, para assumir seu reino no trono de David é que os tempos dos gentios se completarão. (Apocalipse 19:11-21). E a profecia de Yeshua em Lucas 21:24, se cumprirá completa e definitivamente, pois, não somente Jerusalém deixará de ser pisada (dominada) pelos gentios para sempre. Como também a plenitude dos gentios será alcançada, no que se refere a sua salvação pela fé em Yeshua ha Mashiach, o Messias Salvador de Israel. (Romanos 11:25-27).

Nós estamos passando por um período transitório até que a Kehilá (os redimidos dentre judeus e gentios) seja arrebatada. E assim D'us volte a tratar com a nação israelita outra vez para restaurá-la completamente, conforme o profeta Ezequiel falou:

“Então profetizei como se me deu ordem... e ele me disse: Profetiza ao Ruach (Espírito), profetiza, ó filho do homem, e dize ao Espírito: Assim diz Adonai: Vem dos quatro ventos, ó Espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. E profetizei como Ele me deu ordem; então o Espírito entrou neles e viveram e se pôs em pé, um exército grande em extremo... e porei em vós o meu Espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra e sabereis que Eu, o Senhor, disse isto, e o fiz, diz o Senhor.” (Ezequiel 37:7,9,10 e 14).

Quando D'us ordenou a Ezequiel que profetizasse “Vem dos quatro ventos, ó Espírito...”, era porque Ele sabia muito bem, pela sua presciência que o Seu Ruach HaCódesh seria derramado sobre os discípulos de Yeshua em Jerusalém, no início do primeiro século da era comum. (Atos 2:1-4). E que seria enviado para os quatro ventos. Para que quando os tempos dos gentios terminassem, o Ruach HaCódesh (Espírito Santo) ou o Ruach HaShem (Espírito de D'us) retornasse dos quatro ventos para Israel outra vez e selasse os cento quarenta e quatro mil israelitas remanescentes, que receberão ao Messias Yeshua pela fé, nos tempos finais, na septuagésima semana de anos. Apocalipse 7:4-8; 14:1-5 comparados com Joel 2:28-32 e Apocalipse 6:12,13.

Portanto, muito em breve Yeshua arrebatará os seus redimidos da Terra, e aí então, os sete anos finais se cumprirão, culminando com a sua volta visível e gloriosa para julgar as nações e reinar sobre elas.

Esse foi o sonho e essa é a sua interpretação. Verdadeiramente foi uma revelação divina e também “um grande sinal da volta de Yeshua”.

Eis aí então mais um sinal dado por D'us ao seu povo sobre a volta de Yeshua, para arrebatar os seus redimidos e também da sua volta pessoal e gloriosa, juntamente com todos os redimidos, para reinarem sobre todas as nações, para glória do Eterno.

B’H! Ve barukh Yeshua ha Mashiach Melech ha yehudim!

Ora vem Adon Yeshua. Amén!

 __________X__________


Eis aqui um vídeo que fala sobre A VINDA DAS QUATRO LUAS DE 'SANGUE', a saber, um outro grande sinal do retorno do Mashiach.




Vejam também esse texto muito interessante do livro II Baruque:

“O apócrifo Livro de Baruque tem uma segunda parte onde ele, criado de Jeremias, vê quatro anjos se levantando da cidade e em seguida um outro anjo que desce do céu dizendo que D’us o enviou para avisar que a Arca e os tesouros santos ficariam escondidos sob a terra até o último tempo do domínio dos gentios (estrangeiros) sobre Jerusalém, de forma que os inimigos de Israel nunca os achariam, sendo recuperados ao término desse tempo quando Jerusalém fosse restabelecida totalmente das mãos dos gentios (II Baruque 6.4-10)."

Apesar desse livro ser considerado apócrifo, contudo esse texto faz muito sentido e está em plena harmonia com o artigo desse tópico.

Vejam o artigo original em inglês sobre a Aron Brit, Arca da Aliança.


Vejam essa imagem da Magen David formada pelos raios da luz solar no final do eclipse do dia 24/09/2009.

Seria isso um mero acaso ou um sinal dos tempos?



Sobre o uso da Magen David como símbolo.

Apresento aqui alguns motivos provando que não há pecado nenhum em usar a Magen David como símbolo, desde que não a idolatremos ou a usemos como amuleto:

Porque assim como a estrela da manhã (Apocalipse 22:16) anuncia um novo dia, assim também a Magen David anuncia a Era Messiânica, a Rainha Shabat ou a noiva, a qual é composta de redimidos dentre judeus e gentios, os quais viajam a bordo da grande caravela da salvação em Yeshua, para reinar com Ele sobre todas as nações no Reino do Mashiach, o Ungido pelo Eterno.

Os seis bicos da Magen David apontam para o sétimo bico, o qual simboliza o DIA SÉTIMO e o ANO SABÁTICO ou a Era Messiânica ou ainda o Shabat Gadol, o Grande Shabat prenunciado por todos os Shabatot observados através dos séculos por Israel, o povo do Eterno.

Portanto, usar a Magen David como símbolo é uma coisa e usá-la como amuleto é outra. Nós não temos a Magen David como um pé de coelho. A bandeira brasileira é o símbolo do Brasil e nós não a usamos como pé de coelho. Assim também fazemos com outros símbolos; as alianças como símbolo de um compromisso entre um casal de noivos por exemplo. Não existe mal algum em usarmos símbolos, mas se usarmos com dúvida, então será melhor não usarmos.

Não devemos usar símbolos que representem coisas ruins, tais como: Figuras que representam Satanás ou coisas relacionadas com o seu reino de trevas, mas não a Magen David, cuja origem se encontra na história judaica e cujo significado do nome é escudo de David.

Certa vez li uma postagem de uma lenda que dizia que a teia de aranha que salvou a vida do rei David, quando ele estava numa caverna, pois quando ele entrou na caverna D'us enviou uma aranha para fazer uma teia, cujos fios desenhavam uma estrela de seis pontas, a qual fechou a entrada da caverna, e quando um soldado do rei Shaul tentou entrar na caverna para achar David, foi impedido pelo próprio rei Shaul, que disse ao soldado que se David tivesse entrado na caverna, a teia não estaria mais alí. Daí o nome Magen David., isto é, Escudo de David.

Não devemos idolatrar a Magen David ou qualquer outro símbolo judaico.

Nas instruções do Eterno para a construção do Mishkan, Tabernáculo, podemos notar que Ele ordenou que Moshe, Moisés fizesse figura (imagem) de frutas na Menorah e dos dois querubins do Santíssimo Lugar. Uma coisa é servir-nos de figuras e símbolos com fins educativos, como os livros infantis por exemplo, e outra coisa é adorar essas figuras (imagens). Nossos filhos estudam, por certo eles têm livros repletos de figuras. Se pegarmos ao pé da letra o texto de Êxodo 20, então nós estaríamos pecando contra o Eterno, por comprar tais livros para nossos filhos.

É evidente que faria mais sentido se a Magen David tivesse sete bicos, pois assim estaria em consonância com a menorah, a qual tem sete hastes e a central simboliza Yeshua. Mas o que ocorre agora é exatamente porque a Magen fala de Israel sem o Mashiach, pois somente quando a casa de Israel se completar em Yeshua é que estará apta para o cumprimento de uma outra profecia, a qual diz:

כִּי מִצִּיּוֹן תֵּצֵא תוֹרָה, וּדְבַר-יְהוָה מִירוּשָׁלִָם.

"Kiy Mitzion tetze Torah udvar haShem miYerushalaim. Pois de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém." (Miqueias 4:2).

Certa vez eu meditava sobre o fato da Magen David ter apenas seis bicos, até que vendo um filme americano, pude constatar no peito do xerife de uma cidade americana, uma estrela com exatamente SETE BICOS, então o Eterno me fez saber o mistério sobre a Magen David, a qual é um ato profético do Eterno, querendo Ele dizer ao seu povo e para todas as nações, que para o ser humano ser completo nele, só é possível quando passa pelo processo de redenção, através do Cordeiro de D'us que tira o pecado do mundo, a saber Yeshua ha Mashiach. Ora, uma semana só se completa no SÉTIMO DIA, como na criação do mundo.

Por isso a Magen David tem apenas seis bicos, para que não apenas Israel, mas todas as nações saibam que só serão completos diante do Eterno aqueles que reconhecerem Yeshua como o Mashiach profetizado no Tanach e crerem nele para salvação de suas almas (vidas).

Mas nem por isso devemos julgar a Israel por usar a Magen David, pois ela fala de um processo ou de um tempo pelo qual não apenas os judeus, mas também os gentios passam, até que sejam completos no Mashiach. E isso só se dará na sua totalidade no reino de Yeshua ou na era messiânica. Mas para nós que já temos Yeshua essa era ou descanso eterno de nossas almas já é um fato. Uma semana só é completa quando tem sete dias, e o SÉTIMO DIA é o Shabat (descanso), assim também o ser humano só será completo nesse processo de redenção quando alcançar o descanso em Yeshua.

Ainda sobre a Magen David desejo dizer que ela é um sinal ou símbolo do próprio Mashiach Yeshua, o qual teve seu aparecimento (nascimento) profetizado pelo profeta Balaão dizendo: "Uma estrela procederá de Jacó..." (Números 24:17). Os magos que vieram do oriente para adorar o Mashiach que nasceu em Belém disseram que viram a sua ESTRELA no oriente... (Mateus 2:1,2,9,10). O próprio Yeshua disse, numa linguagem simbólica ser Ele mesmo a ESTRELA DA MANHÃ. (Apocalipse 22:16). E uma promessa Yeshua fez para os que vencerem: "...dar-lhe-ei a ESTRELA DA MANHÃ." (Apocalipse 2:28).

A Magen David, dentre outras coisas que ela representa, fala também do período em que Israel será restaurado espiritualmente, ou seja, após o Cordeiro Yeshua ter aberto o sexto selo (simbolizado pelos seis bicos da Magen David) do livro selado com sete selos, os quais como também já disse simbolizam os sete anos da última semana de anos da profecia de Daniel 9:27.

Então o Eterno fará cumprir-se uma outra profecia, a qual até agora só se cumpriu parcialmente, trata-se da profecia de Joel 2:28-32, sobre o derramamento do Ruach HaCódesh sobre toda a carne, isto é, sobre judeus e gentios, pois até agora tem se cumprido mais no meio dos gentios, mas conforme consta de Apocalipse 6:12-17 e 7:1-8, se cumprirá também na vida dos judeus que reconhecerão a Yeshua como o Mashiach no tempo da angustia de Jacó, na grande tribulação predita por Daniel 9:27 e 12:11 e por Yeshua em Mateus 24:15-22. E logo após tudo isso, o sétimo selo é aberto, o qual simboliza a MAGEN DAVID já completa com seus sete bicos.

O rei David nos diz em Tehilim, Salmos:

ואתה יהוה מגן בעדי כבודי ומרים ראשי׃

"Veatá Adonay magen baadiy kevodiy umeriym roshiy".

"E tu ó Senhor escudo és para mim, minha glória e o que levanta minha cabeça."
Tehilim 3:4, Salmos 3:3.

O escudo de David sempre foi o Eterno, mas a Megen David simboliza verdades proféticas do próprio Eterno com relação a sua obra de redenção em Yeshua ha Mashiach não apenas de Israel, mas como também de todas as nações e de toda a criação.

Se podemos usar a Menorah para simbolizar a luz do Eterno no Mashiach e em nós, então também poderemos usar a árvore da vide, a videira, para simbolizar Yeshua e seus redimidos (Jo. 15:1-6); logo, também podemos usar uma estrela, a Magen David, para simbolizar Yeshua como nosso escudo, como Ele também foi para David.

Veja Tehilim 110:1,4, onde David identifica o Mashiach como sendo seu Senhor e como o Kohen Leolam, o Sacerdote Eterno, e no Tehilim 3:4, Salmo 3:3, ele diz que o Eterno é seu escudo.

Ora, sabemos que o Eterno sempre foi e sempre será o nosso escudo em Yeshua, porque se Yeshua não fosse oferecido como o cordeiro de D'us que tira o pecado do mundo, jamais poderíamos ter o Eterno como nosso escudo. Porque está escrito que sem derramamento de sangue não pode haver expiação de pecados. (Lv. 17:11, Mt. 26:28).

Portanto, a Magen David representa a redenção estabelecida pelo Eterno em Yeshua. O Eterno é nosso escudo em Yeshua, porque Ele deu seu Único Filho para que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna nele, em Yeshua, na estrela da manhã (Ap. 22:16) ou ainda na redenção em Yeshua, simbolizada pela Magen David, o escudo de David dado pelo Eterno.

Símbolos e figuras do Eterno e do Mashiach:

- O Eterno é um SOL e ESCUDO - Sl. 84:11.
- O Eterno é uma ROCHA - Sl. 92:15, 144:1, etc.
- Yeshua é o CORDEIRO - Is. 53:7; Jo. 1:29; At. 8:32 e Ap. 5:6.
- Yeshua é a ESTRELA DA MANHÃ (Magen David) - Nm. 24:17 e Mt. 2:2,9,10 e Ap. 22:16.
- Yeshua é o PÃO DA VIDA - Jo.6:35,48.
- Yeshua é a PORTA - Jo. 10:7,9.
- Yeshua é a RAÍZ E A ÁRVORE (videira)- Jo. 15:1-6 e Ap. 22:16.
- Yeshua é o LEÃO da tribo de judá - Ap. 5:5.
- Yeshua é a PEDRA REJEITADA e de ESQUINA - Sl. 118:22; 144:12; Is. 28:16; Dn. 2:34,35; Mt. 21:42 e I Pe. 2:7.

Mediante tudo isso, por que usar apenas a Menorah como símbolo e não todas essas coisas acima mencionadas?

Desejo informar que as estrelas, tanto servem para simbolizar o Eterno, nosso D'us, como a Yeshua e também a todos os que são justificados diante do Eterno por Yeshua, o nosso Redentor. Deixemos que as próprias Escrituras falem por si só:

O sol, o qual é uma ETRELA de quinta grandeza, como símbolo do Eterno e também daqueles que amam a Ele. - (Sl. 84:11; Jz 5:31).

A estrela como sendo um símbolo de Yeshua ha Mashiach. - (Nm. 24:17; Mt. 2:2; Ap. 22;16).

As estrelas como os homens justos. - (Dn. 12:3).

Sabemos que o sol é uma estrela também, portanto tanto o sol como as estrelas simbolicamente representam todos aqueles que têm a LUZ do Eterno em suas vidas. E o próprio Yeshua disse: "Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida." (Jo. 8:12); Yeshua também disse que nós somos a luz do mundo. (Mt. 5:14). E João, o apóstolo disse: "D'us é luz, e não há nele trevas nenhuma." (I Jo. 1:5).

Que as luzes da chanukiá brilhem!

Brilhem anunciando a verdadeira luz do Eterno, a qual esta em Yeshua. E por isso mesmo Yeshua disse ser a luz do mundo, e que veio ao mundo para que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna... (Jo. 3:16-21). O espaço aqui não dá, leiam então até o verso vinte e um.

Na realidade tanto a luz cósmica que o Eterno criou com a palavra que saiu da sua boca (Bereshit, Gênesis 1:3), bem como o sol e as estrelas foram criados também com a finalidade de servirem como símbolos da verdadeira LUZ, a qual é o próprio Eterno e que sempre existiu na eternidade, no princípio, luz essa que veio a este mundo através de Yeshua, a luz do mundo, pois nele, em Yeshua habita toda a plenitude da Divindade. (Col. 1:19; 2:9).

Portanto, tudo que tem luz, simbolicamente representa D'us e o seu reino bendito. E em tudo que há trevas, representa Satanás e o seu reino maldito.

Há um site dizendo que a magen pertence a maçonaria, mas isso só prova uma coisa, que Satanás sempre usa as coisas de D'us para confundir o ser humano. Você sabia que foi o próprio D'us quem matou o primeiro animal, e foi para que o couro do mesmo vestisse a nudez de Adão e Eva? Pois bem, até hoje Satanás pede aos seus seguidores que sacrifiquem animais, isso é uma maneira de querer estar no lugar do Criador, o qual matou o primeiro animal, prefigurando a morte do Cordeiro de D'us (Yeshua) que tira o pecado do mundo, vestindo o ser humano com a justiça do seu amado filho Yeshua. Satanás usa até a Bíblia, que abuso! Ele usou o Salmo 91 para tentar a Yeshua. Não é de se admirar que ele use também a Magen David, a qual já existia muito antes de haver a maçonaria, concorda? Infelizmente alguém menos entendido em determinado assunto é enganado pelo inimigo de nossas almas, pela confusão (Babilônia) que ele cria no mundo.

Sinceramente não vejo nenhum problema em representar uma estrela usando a forma geométrica com cinco, seis ou sete bicos, pois o Eterno em lugar nenhum das Escrituras faz tal proibição. Ao contrário disso D'us ordenou a Moshe, Moisés para fazer o Mishkan, Tabernáculo (de forma retangular) usando medidas de precisão, para fazer várias coisas com variadas formas, tais como: O Átrio, o Santo Lugar, o Santíssimo Lugar, a Mesa da Proposição, o Candelabro com sete pontas, etc.

Certa fez me mandaram um mail contendo um "file" feito por um cientista japonês, onde ele prova através dos cristais de água o efeito do som nas moléculas dos mesmos.

Ele mostra a formação de várias figuras geométricas, inclusive da Magen David, Estrela de David pelas moléculas de água que foram expostas aos seguintes sons: De palavras de amor, das pastoras de Bethoven, etc. Mas também mostra algumas imagens totalmente disformes formadas pelas moléculas de água de um rio poluído... E também das moléculas de água que foram expostas ao som da voz de Adolph Hitler, de ameaça de morte, etc...


. O formato dos cristais obedece a um padrão.

A maioria dos cristais de água exposta a alguma boa influência, seja de som, carinho, amor, etc. tem o formato de seis pontas, similar a Magen David, confiram:





Por que seria isso?

Creio que seja porque D'us está chamando a atenção do ser humano para o centro do universo, ou seja, para o local mais sagrado, mais perfeito, mais justo, mais sublime, etc. etc..., onde esse mesmo ser humano pode conseguir a união perfeita e completa com o seu Criador. Esse local é chamado de Santíssimo Lugar, o qual era simbolizado por uma dependência do Mishkan (Tabernáculo) e posteriormente Beit ha Mikdash (Templo), local de culto a D'us pelos israelitas. Vejam o que falo sobre A União Perfeita e Completa do Homem com D'us.

E vejam também o que falo sobre a Magen David e sua relação com o Santíssimo Lugar:

"A cruz tem seis faces: frente, costas, lado direito, lado esquerdo, altura e profundidade. E a estrela de Davi na bandeira de Israel tem seis pontas, em outras palavras, elas apontam para o formato de “Um Cubo do Tamanho do Infinito”, expressão usada na CONCLUSÃO do tópico denominado "A Redenção Profetizada no Sêder de Pêssach" do link citado. E faz lembrar das medidas da Nova Jerusalém, cidade dos redimidos na Glória (Ap. 21:16) e também do Santíssimo Lugar, o mais sagrado ambiente ou recinto do Tabernáculo, e posteriormente, também do Templo de Salomão, onde a glória de D'us descia." (Ex. 40:34; II Cron. 7:2).

Além disso existe uma criatura marinha no formato de uma estrela de cinco pontas, a qual é muito conhecida por todos como "estrela do mar", isso mostra que D'us em sua criação também usou de geometria.

Portanto é errado dizer que não devemos representar o brilho de uma estrela usando as pontas de uma figura geométrica.

Conta-se que a letra DÁLET do alfabeto hebraico, no tempo do rei David era em formato triangular...

Quem estuda hebraico sabe que na evolução da escrita os alfabetos de várias línguas foram formados a partir dos hieróglifos. A letra ÁLEF (primeira do alfabeto hebraico) por exemplo, foi criada a partir do hieróglifo representado pela cabeça de um boi.

E a letra grega DELTA que tem formato triangular, a qual é representada pela nossa letra D, e em hebraico pela letra DÁLET foi usada para formar a Magen David, pois dois DÁLETS ou DELTAS formam o prefixo e o sufixo do nome do rei DAVID.

Sendo assim essas duas letras em formato triangular sobrepostas formam a Magen David ou o Escudo de David.




Dizem ainda que o escudo usado pelas tropas do exército de Israel, no tempo do rei David tinha a Magem David desenhada nele.

Se não podemos desenhar uma figura geométrica, para representar os raios que procedem da luz de uma estrela, então também não podemos desenhar as seguintes figuras representativas: Do tabernáculo, da menorah, da mesa da proposição, das tábuas da lei, da arca da aliança com os keruviym (querubim), de um leão para representar a tribo de judá, etc... E nem podemos também desenhar nenhum astro celeste, mesmo sendo em caráter educacional. Não podemos sequer comprar um livro que contenha figuras de espécie alguma, nem mesmo um atlas geográfico.

O grande problema não consiste no desenho da Magen David, porque Satan sempre usou das coisas de D'us com a finalidade de confundir o povo... Pois o judeu Shaul, Paulo diz que Satan se transforma até em anjo de luz, para se possível enganar até mesmo os próprios eleitos de D'us. Sabemos que o inimigo de D'us usa até mesmo as Escrituras para enganar o ser humano, veja por exemplo o Evangelho Segundo Allan Kardec.

No tabernáculo os sacerdotes queimavam incenso por ordem do Eterno... Hoje, porém são os macumbeiros que fazem isso... Então o incenso que era tido como santo, agora passou a ser impuro, simplesmente porque Satan esta usando-o indevidamente. Porque essa é a intenção dele, isto é, contaminar tudo que é consagrado ao Eterno.

Portanto, o inimigo usa indevidamente o desenho da Magen David, o qual não lhe pertence.

No dia 07/junho/1967 (28/Iyyar/5727) a parte oriental da cidade de Jerusalém foi finalmente tomada pelos israelenses... E por que não dizer pelos israelitas? Porque os descendentes de Israel, após a destruição de Jerusalém pelos romanos no ano 70 d.e.c. ficaram dispersos mais de 1900 anos. E durante todo esse tempo eles sonharam com esse grande dia.

Dia esse em que se cumpriu uma grande profecia de Yeshua, vejam o que ele disse sobre Yerushalaim:

»LUCAS [21]
20 Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação...
24 E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos destes se completem.

Nesses versos acima ele profetizou sobre a destruição de Jerusalém pelos romanos, ocorrido em 70 d.e.c. e também sobre o fim do domínio gentílico de Jerusalém, o qual se deu exatamente em 07/junho/1967 ou em 28/Iyyar/5727.

Vejam esse vídeo, no qual a FIERJ - Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro comemorou no dia 16/maio/2007 (28/Iyyar/5767) o aniversário da tomada de Yerushalaim, Jerusalém em 07/junho/1967 (28/Iyyar/5727):



E por tudo que HaShem, D'us nos tem dado cantemos então essa linda canção de Tehilim, Salmos 137:1-6.

אִם-אֶשְׁכָּחֵךְ יְרוּשָׁלִָם - Im eshkachekh Yerushalaim - Se eu me esquecer de ti Jerusalém...

תהילים פרק קלז
א עַל נַהֲרוֹת, בָּבֶל--שָׁם יָשַׁבְנוּ, גַּם-בָּכִינוּ: בְּזָכְרֵנוּ, אֶת-צִיּוֹן.
ב עַל-עֲרָבִים בְּתוֹכָהּ-- תָּלִינוּ, כִּנֹּרוֹתֵינוּ.
ג כִּי שָׁם שְׁאֵלוּנוּ שׁוֹבֵינוּ, דִּבְרֵי-שִׁיר-- וְתוֹלָלֵינוּ שִׂמְחָה:
שִׁירוּ לָנוּ, מִשִּׁיר צִיּוֹן.
ד אֵיךְ--נָשִׁיר אֶת-שִׁיר-יְהוָה: עַל, אַדְמַת נֵכָר.
ה אִם-אֶשְׁכָּחֵךְ יְרוּשָׁלִָם-- תִּשְׁכַּח יְמִינִי.
ו תִּדְבַּק-לְשׁוֹנִי, לְחִכִּי-- אִם-לֹא אֶזְכְּרֵכִי:
אִם-לֹא אַעֲלֶה, אֶת-יְרוּשָׁלִַם-- עַל, רֹאשׁ שִׂמְחָתִי.

»SALMOS [137]

1 Junto aos rios de Babilônia, ali nos assentamos e nos pusemos a chorar, recordando-nos de Sião.
2 Nos salgueiros que há no meio dela penduramos as nossas harpas,
3 pois ali aqueles que nos levaram cativos nos pediam canções; e os que nos atormentavam, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos um dos cânticos de Sião.
4 Mas como entoaremos o cântico de HaShem, D'us em terra estrangeira?
5 Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a minha destra da sua destreza.
6 Apegue-se-me a língua ao céu da boca, se não me lembrar de ti, se eu não preferir Jerusalém à minha maior alegria.




Vejam esse outro vídeo e ouçam também essa outra lindíssima canção:

Im Eshkachech, if i ever forget thee, Jerusalem




Lehitraot.

פולוס וואלי ✡

Nota sobre minha assinatura:

"Origem judaica dos sobrenomes Valle, Vale.

פולוס - Polos / Paul / Paulo

וואלי - Valley / Valle / Vale

Porque o meu sobrenome Vale deveria ser com duas letras "L", mas por um erro do Cartório só tem uma.

Portanto, abaixo faço referência a um Rabino de renome com esse sobrenome Valle (וואלי):




Judaísmo Messiânico




O que vem a ser judaísmo messiânico?

Para quem sabe inglês, eis aqui um vídeo com a resposta para essa pergunta:


Nota do autor:

Sei que esse tema é polêmico, pois nem todos os judeus messiânicos concordam com esse ponto de vista, porém como todos nós somos pessoas livres para expressar nossas idéias, então segue abaixo o meu ponto de vista pessoal e não o do movimento judaico messiânico sobre o que vem a ser o judaísmo messiânico e quem são os judeus messiânicos.


relojes web gratis



Data e hora local em Israel



E quem são os judeus messiânicos?

O termo judeu na realidade só era usado para referir-se aos membros da tribo de Yehudah, Judá, no período em que Israel era um reino composto de 12 (doze) tribos antes da diáspora, dos cativeiros impostos pela Assíria e pela Babilônia, porém após esse período, com a volta da tribo de Yehudah, Judá do cativeiro Babilônio esse termo judeu ficou convencionado para todos os descendentes de Israel em geral.


. Os judeus messiânicos são formados por duas classes distintas de indivíduos.

1) Os judeus de descendência biológica israelita que reconheceram Yeshua como o verdadeiro Mashiach, Messias e o seguem observando o judaísmo bíblico. Também pertencem a essa classe os já reconhecidos judeus marranos ou benei anussin e outros grupos já reconhecidos como descendentes israelitas e que seguem o judaísmo messiânico.

2) E também os gentios que crêem em Yeshua como o verdadeiro Messias e o seguem observando também o judaísmo bíblico, através da conversão informal e da brit milah, circuncisão do coração. Conversão informal porque no Brasil ainda não tem uma conversão formalizada, através de exigências de uma halachá judaica messiânica.

"E o Adonai Eloheikha, Adonai teu D'us circuncidará o teu coração, e o coração da tua semente, para amares a Adonai Eloheikha com todo o coração, e com toda a tua alma, para que vivas." (Devarim, Deuteronômio 30:6).

"Circuncidai-vos para HaShem e tirai os prepúcios do vosso coração..."
(Yrmiah, Jeremias 4:4).

“Mas esta é a brit, aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz Adonai: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu D’us e eles serão o meu povo.” (Yrmiah, Jeremias 31:33).

"Foi também em união com ele que vocês foram circuncidados, não com a circuncisão feita por mãos humanas, mas a realizada pela remoção do controle da velha natureza sobre o corpo. Nessa circuncisão feita pelo Messias vocês foram sepultados com ele por meio da imersão; e foram ressuscitados em união com ele pela fidelidade de D'us que atuou ao ressuscitar Yeshua dentre os mortos."
(Colossenses 2.11-12).

"E se revestiram do novo “eu”, que é continuamente renovado em conhecimento mais abrangente, cada vez mais perto da imagem do seu Criador. O novo “eu” não dá margem para a discriminação entre gentio e judeu, circunciso e incircunciso, estrangeiro, selvagem, escravo, livre; ao contrário o Messias é tudo em todos."
(Colossenses 3:10-11).

. Uma dedução lógica que define como devem ser chamados os seguidores de algumas instituições religiosas.

1) O cristianismo é a religião daquele que crê em Cristo, logo esse religioso é chamado de cristão;

2) O islamismo / maometismo / maometanismo é a religião daquele que segue os ensinamentos de Maomé no Alcorão, logo esse religioso é chamado de islamita ou maometano;

3) O budismo é a religião daquele que segue os ensinamentos de Buda, logo esse religioso é chamado de budista;

4) O espiritismo é a religião ou seita daquele que crê na doutrina espírita ou nos ensinamentos de Allan Kardec, logo esse religioso é chamado de espírita.

5) E com relação ao judaísmo não poderia ser diferente, porque é a religião daquele que segue os ensinamentos da Torah, Tanakh e também as tradições e costumes judaicos dentro duma sinagoga tradicional ou messiânica, logo esse religioso é chamado de judeu, mesmo aquele que não seja judeu de descendência israelita, mas que apenas seja judeu por praticar o judaísmo tradicional ou messiânico.

Portanto, não são todos os judeus messiânicos que têm descendência biológica israelita, porque alguns goim, gentios professam também essa religião judaico messiânica, e por isso mesmo também são judeus messiânicos, obviamente.

Porque também no judaísmo tradicional nem todos são judeus de descendência israelita, pois alguns são judeus apenas por professar a religião judaica, através da conversão segundo a halachá tradicional, obviamente.

Todavia, bem sei que na carne, judeu é judeu e gentio é gentio, mas na alma e no espírito e também pelo fator religioso eles podem mudar de judeu para gentio e de gentio para judeu, conforme demonstro mais adiante como isso se processa.

E todos aqueles que já identificaram o Mashiach são novas criaturas, cidadãos do céu, reis e sacerdotes, não segundo uma Ordem em que o sumo sacerdote morre, é substituído por outro e que deve oferecer sacrifícios não apenas pelo povo, mas por si próprio também; Porém somos sacerdotes segundo uma outra Ordem (Tehilim, Salmos 110:4) em que o Sumo Sacerdote vive e que ofereceu de uma vez por todas um sacrifício suficiente e eterno, não por si mesmo e nem apenas pelos israelitas, mas também por todos os gentios que nele crêem. De sorte que quanto ao nosso corpo físico existe sim uma distinção entre judeu e gentio, mas não quanto ao nosso ser espiritual.

E definitivamente a conclusão que se pode chegar é que não há distinção entre um judeu e um gentio que seguem o judaísmo, seja ele tradicional ou messiânico, no que concerne a alma, espírito e ao fator religioso. Sendo essa a única diferença: Que um é judeu de descendência física e metafísica; e que o outro é judeu apenas de descendência metafísica, isto é, de alma, de espírito e de religião, por seguir o judaísmo tradicional ou o messiânico.

Portanto, um judeu de descendência física de Avraham avinu nunca deixa de ser judeu pelo elemento físico ou carnal. E nem um gentio deixa de ser gentio por esse mesmo elemento. Já pelo elemento psíquico espiritual e o religioso tanto judeus como gentios podem mudar, isto é, de judeu para gentio ou de gentio para judeu. Abaixo segue uma demonstração de como isso se processa.

Um judeu e um gentio são incompletos quando eles o são apenas através de um desses dois elementos:

1) Pelo elemento físico ou carnal, isto é, pelo DNA físico.

2) Pelo elemento metafísico psíquico espiritual, ou seja, pelo DNA metafísico, que é o da alma e do espírito, onde é formado o EGO do ser humano, que é o centro ou o "coração" (Mishlei, Provérbios 4:23, Mattiahu, Mateus 15:19, Lucas 6:45) da personalidade de alguém. É o EGO quem comanda sua mente, seus sentimentos, e através do sistema volitivo, a sua vontade; e através do superego comanda também as suas decisões sobre tudo que é certo ou errado, santo ou profano, justo ou injusto, etc. E é o EGO quem também comanda todos os seus sentidos físicos, porque tanto o elemento metafísico (psíquico espiritual) bem como o elemento físico (corpo) ficam subordinados a ele... Enfim, o EGO que é parte desse elemento psíquico espiritual é quem faz esse alguém decidir crer ou não em D'us ou em outros deuses e qual religião deve seguir ou não. Portanto, o EGO, depois de formado é o responsável também pela formação do caráter da personalidade de alguém.

. O que se pode entender por um judeu completo?

Judeu completo em nossos dias é aquele que é judeu não apenas de descendência ou de DNA físico do patriarca Avraham, mas também pelo DNA metafísico dele, ou seja, um judeu de corpo, alma e espírito e que identifica o Mashiach e o segue observando o judaísmo bíblico, o judaísmo messiânico.

. E o que se pode entender por um judeu incompleto?

Um judeu é incompleto quando ele é judeu apenas de nascimento ou descendência física de Avraham avinu, mas não o é também de DNA metafísico do patriarca.

Sendo assim é possível que alguém seja judeu, através da descendência de pai e mãe judeus, porém se esse alguém é um judeu ateu ou não segue o judaísmo bíblico e sim a uma outra religião, então esse judeu só é judeu por descendência física, e é, portanto considerado um gentio (estrangeiro para a casa de Israel ou para a família de D'us) pelo elemento metafísico psíquico espiritual.

. O que se pode entender por um gentio completo?

Da mesma forma que existe judeu completo, assim também existe gentio completo, ou seja, aquele que é gentio (estrangeiro para com a casa de Israel ou para com a família de D’us) por descendência física, por DNA físico que não seja o de Avraham avinu, e também pelo DNA metafísico ou descendência psíquico espiritual não proveniente da fé no verdadeiro D'us e no seu filho Yeshua ha Mashiach.

. E o que se pode entender por um gentio incompleto?

Da mesma forma que existe judeu incompleto, assim também existe gentio incompleto, ou seja, aquele que é gentio apenas através do elemento físico ou carnal, por ele ter sido transformado no elemento psíquico espiritual, pelo Ruach HaShem num verdadeiro JUDEU DE ALMA que identifica o D'us de Israel, que crê nele, que o obedece e que crê também no Rabino Yeshua, seguindo seus ensinamentos, ainda que congregando numa kehilá gentílica, tornando-se por isso mesmo num gentio cristão.

Por um estudo etimológico desses dois termos, messiânico e cristão querem dizer a mesma coisa. Porque ambos procedem do mesmo termo hebraico Mashiach, que significa ungido e que foi transladado para o latim e também para o português por Messias, daí o termo messiânico em português. Sendo que esse termo Mashiach foi traduzido para o grego como Cristós (ungido), daí o termo Cristo e cristão em português.

Porém esse termo cristão com o passar dos séculos perdeu o seu valor original devido ao mal uso do mesmo, porque aqueles que se diziam cristãos não seguiam mais o judaísmo messiânico praticado pela kehilá, congregação de Yeshua do primeiro século. E mais tarde eles se distanciaram ainda mais do judaísmo bíblico e por causa disso se transformaram em verdadeiros inimigos dos judeus, através das Cruzadas, da Inquisição Católica, etc...


"...a intolerância religiosa cada vez mais acentuada, especialmente com relação à comunidade judaica na Europa. O aumento do antissemitismo entre os cristãos culminou com o massacre de milhares de judeus em todo o continente europeu."

As principais conseqüências da Inquisição Católica:

Inúmeros judeus torturados e mortos, além de um número também indefinido de outros que perderam sua identidade judaica, por serem forçados a se converterem ao cristianismo, cujos descendentes até hoje enfrentam enorme dificuldades para provar suas origens judaicas.

Entretanto, quando um gentio congrega numa sinagoga judaico messiânica ele está seguindo o judaísmo messiânico, o bíblico, então ele passa a ser um verdadeiro judeu não apenas de alma e espírito, mas também pelo FATOR RELIGIOSO, daí ele pode ser chamado também de JUDEU MESSIÂNICO, embora o seja só de alma, espírito e religião, mas não pelo DNA físico de Avraham avinu. E isso está em perfeita harmonia com o texto de Efésios 2:19 que diz:

"Assim, pois, não sois mais estrangeiros, nem forasteiros, antes sois concidadãos dos santos e membros da família de D'us".

Então esse gentio que segue o judaísmo messiânico também pode ser descrito ou definido por quatro distintas maneiras:

1) GENTIO CONVERTIDO AO JUDAÍSMO COMPLETO, embora não seja judeu de nascimento ou de DNA físico de Avraham avinu.

2) JUDEU MESSIÂNICO DE ALMA, ESPÍRITO e RELIGIÃO, porque tem o DNA metafísico de Avraham Avinu e também porque é um GENTIO QUE SEGUE O JUDAÍSMO MESSIÂNICO ou o JUDAÍSMO COMPLETO, embora não seja judeu de nascimento ou de DNA físico de Avraham avinu.

3) JUDEU MESSIÂNICO INCOMPLETO, porque tem o DNA metafísico de Avraham Avinu e também porque é um GENTIO CONVERTIDO AO JUDAÍSMO MESSIÂNICO, o que o torna num judeu não só de alma e espírito, mas também de religião, embora não seja judeu de nascimento ou de DNA físico do patriarca.

4) E GENTIO INCOMPLETO, porque tem o DNA metafísico de Avraham Avinu e também porque é um GENTIO CONVERTIDO AO JUDAÍSMO MESSIÂNICO, o que o torna num gentio apenas de nascimento ou de DNA físico, mas não de alma, de espírito e nem de religião.

E desse modo um gentio que segue o Mashiach é tanto um gentio incompleto como também um judeu incompleto com relação ao seu corpo (elemento físico) e com relação a sua alma e ao seu espírito (elemento metafísico psíquico espiritual).

Apesar da expressão "messiânico" significar, por um estudo etimológico, o mesmo que "cristão", no primeiro século, porém o termo messiânico era empregado para definir tanto judeus como gentios que acreditavam no Mashiach Yeshua e o seguiam dentro do judaísmo. E o termo cristão passou a ser usado mais para definir os gentios que acreditavam no Messias, no Cristo destituído das suas raízes judaicas, isto é, num Messias não mais visto como um judeu que praticava o judaísmo. E por isso mesmo esses cristãos também se separaram cada vez mais das suas raízes judaicas.

Alguns judeus messiânicos ensinam que um gentio que segue o judaísmo messiânico não é um judeu messiânico, pelo seguinte motivo:

"Então, nós somos filhos de pai e/ou mãe judeus, descendentes de judeus e convertidos ao judaísmo (que primeiro se converteram ao judaísmo "tradicional" e depois passaram a crer em Yeshua, nunca o contrário, pois uma conversão ao judaísmo tradicional implicaria em negar Yeshua) que crêem que o Messias tão esperado pelo judaísmo já chegou e se chama Yeshua ben Yossef."

Mas, eu discordo em parte disso porque não defendo a tese de que um gentio cristão deva se converter ao judaísmo tradicional, para só aí então se converter ao judaísmo messiânico não, pois dessa forma ele estaria negando sim a Yeshua, para depois voltar a crer nele seguindo o judaísmo messiânico. Mas a tese que defendo é que um gentio cristão ou messiânico (por já ter identificado o Messias Yeshua) ao se converter ao judaísmo messiânico ou judaísmo completo, esse gentio se torna sim num judeu messiânico, porque a ordem das "parcelas" não altera a "soma", conforme exemplo abaixo:

1) Com relação a um judeu tradicional que passa a crer no Messias Yeshua, isso se processa assim:

Judeu (1) + Messias (2) = judeu messiânico (3) = Messias (2) + judeu (1) = judeu messiânico (3)

Em outras palavras, um judeu tradicional se torna messiânico quando ele identifica o Messias Yeshua, passando o mesmo a ser chamado de judeu messiânico. Embora se saiba que todo judeu tradicional que crê no Messias, mesmo que esse judeu não identifique ainda que o Messias que ele espera é Yeshua, mesmo assim ele é também um judeu messiânico.

2) Com relação a um gentio que passa a crer no Messias, mas não o segue dentro da visão judaica messiânica e sim dentro da visão cristã, isso se processa assim:

Gentio (1) + Cristo (2) = gentio cristão (3) = Cristo (2) + gentio (1) = gentio cristão (3)

3) E com relação a um gentio cristão que depois se converte ao judaísmo completo (messiânico), isso se processa assim:

Gentio cristão (1) + judaísmo messiânico ou completo (2) = gentio cristão convertido ao judaísmo messiânico ou completo, ou apenas judeu messiânico de alma, espírito e religião (3) = judaísmo messiânico ou completo (2) + gentio cristão (1) = judaísmo messiânico ou completo praticado por um gentio que deixou de ser um cristão para ser um judeu messiânico de alma, espírito e religião (3)

Sendo assim a soma não é alterada pela ordem das parcelas, porque tanto faz um gentio que tenha se convertido primeiro ao judaísmo tradicional e só depois se converta ao judaísmo messiânico, como também um gentio que já tenha identificado o Messias Yeshua e só depois se converta ao judaísmo messiânico ou judaísmo completo.

Portanto, um gentio que já tenha identificado o Messias Yeshua deve ser chamado então de gentio cristão, porém quando ele se converte ao judaísmo completo ou judaísmo messiânico, então ele deve ser chamado de "gentio cristão convertido ao judaísmo completo" ou simplesmente de "judeu messiânico de alma, espírito e religião", que o caracteriza como alguém que segue o Messias original, ou seja, o Mashiach que praticava o judaísmo, porque dentre todas as formas aqui descritas penso que essas seriam as mais apropriadas para identificá-lo.

E o mesmo acontece quando um gentio que ainda não identificou o Messias Yeshua se converte ao judaísmo messiânico, pois nesse caso ele ao fazer isso passa automaticamente a identificar também o Messias Yeshua.

Definição de como um judeu e um gentio que crêem em Yeshua devem ser chamados no cristianismo e no judaísmo messiânico:

a) - Um judeu de nascimento que deixa o judaísmo tradicional e segue o judaísmo messiânico deve ser chamado de: JUDEU MESSIÂNICO, por ter reconhecido o Mashiach Yeshua e o seguir observando o judaísmo bíblico, o messiânico, se completando assim como judeu;

b) - Um judeu de nascimento que segue o cristianismo deve ser chamado de: JUDEU CRISTÃO, por conversão ao cristianismo;

c) - Um gentio que segue o judaísmo messiânico deve ser chamado de: JUDEU MESSIÂNICO DE ALMA, ESPÍRITO E RELIGIÃO ou GENTIO CONVERTIDO AO JUDAÍSMO MESSIÂNICO ou caso esse gentio já tenha identificado o Messias antes de se converter ao judaísmo messiânico, então ele deve ser chamado de GENTIO CRISTÃO CONVERTIDO AO JUDAÍSMO MESSIÂNICO, o qual, através do DNA metafísico de Avraham avinu e também pela conversão informal a essa religião se torna num JUDEU MESSIÂNICO DE ALMA, ESPÍRITO E RELIGIÃO, mesmo que ele não tenha o DNA físico do patriarca;

d) - E um gentio que segue o cristianismo deve ser chamado de: GENTIO CRISTÃO ou MESSIÂNICO.

Sendo assim é possível perfeitamente que um gentio se torne num judeu por descendência metafísica de Avraham avinu, nosso pai Abraão, pela fé (Bereshit, Gênesis 17:5; Romanos 4:11,17).

E hashaliach Shaul, o judeu emissário Paulo nesse outro texto de sua carta aos crentes de Roma concorda com isso, confiram abaixo:

“Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se guardares a lei proveniente da Torah; mas se tu és transgressor dessa lei, a tua circuncisão tem-se tornado em incircuncisão! Se, pois, um homem incircunciso (gentio) guardar os preceitos da Torah, porventura a incircuncisão desse homem não será reputada como circuncisão? E na verdade esse homem que fisicamente é incircunciso (gentio), se guarda as exigências justas da Torah, julgará a ti, que, apesar de ter passado pela brit milah, circuncisão e ter a Torah escrita, transgrides a Torah! Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu aquele que o é interiormente, e circuncisão é a do coração, espiritual, e não literal; cujo louvor não provém dos homens, mas de D’us.” (Romanos, 2:25-29).

Porque para o Eterno mais vale um gentio com alma judia do que mil judeus com alma gentia.

Mas, na realidade D'us tem promessas maiores tanto para judeus como para gentios, promessas de sermos revestidos de um corpo glorificado, cuja habitação não é desse mundo e sim da Yerushalaim ha Chadashah, Nova Jerusalém.

. Os goim também são filhos de Avraham avinu pela fé.


תֶּרַח, Terach, o pai de Avraham avinu, nosso pai Abraão, o próprio Abraão antes de ter seu nome mudado de Abrão para Abraão e seu irmão Nachor eram goyim, gentios e idólatras, conforme nos mostra esse texto do livro de יהושוע, Yehoshu'a, Josué:

וַיֹּאמֶר יְהוֹשֻׁעַ אֶל-כָּל-הָעָם, כֹּה-אָמַר יְהוָה אֱלֹהֵי יִשְׂרָאֵל, בְּעֵבֶר הַנָּהָר יָשְׁבוּ אֲבוֹתֵיכֶם מֵעוֹלָם, תֶּרַח אֲבִי אַבְרָהָם וַאֲבִי נָחוֹר; וַיַּעַבְדוּ, אֱלֹהִים אֲחֵרִים.

"Disse então Josué a todo o povo: Assim diz o יְהוָה , D'us de Israel: Além do Rio habitaram antigamente vossos pais, Terach, pai de Avraham e de Nachor; e serviram a outros deuses." (יהושוע, Yehoshu'a, Josué 24:2).

E a tradição judaica nos fala dessa idolatria de Terach, pai de Avraham avinu.

O chamado de Abraão está descrito na Parashah "Lech Lechá", que significa literalmente "Vai por ti mesmo", que em outras palavras dizia para o patriarca se desprender daquilo que o impedia de servir ao Eterno, pois tanto o seu pai como toda sua parentela eram idólatras. E por isso mesmo eles eram gentios, isto é, estrangeiros ou estranhos para com os oráculos Divinos. Esse texto mencionado acima, do livro de Yehoshua, Josué nos dá a entender claramente que Avraham avinu antes de ter um encontro e uma experiência pessoal e íntima com o único D'us chegou também a servir esses ídolos, conforme declaração feita pelo próprio Eterno: וַיַּעַבְדוּ, אֱלֹהִים אֲחֵרִים, "e serviram a outros deuses". Porque esse texto está falando dos pais ou dos patriarcas da nação de Israel, que nesse caso são Terach e Avraham. Mas Avraham apesar de ter passado por tudo isso, depois conseguiu se libertar do politeísmo e passou a crer apenas no único D'us, até que recebeu o chamado "Lech Lechá" para seguir e servir somente a Ele.

E o chamado dos goim, gentios não é diferente do chamado de Avraham, Abraão no que diz respeito a ter que deixar a idolatria para servir o único D'us.

Mas foi somente aos 75 anos, após um longo período de absoluta e total devoção, que o Eterno se revelou a Abraão pela primeira vez, apresentando-se com o chamado Divino “Lech Lechá” – “Sai da tua terra, da tua pátria e da casa do teu pai para a terra que Eu te mostrarei” (Bereshit, Gênesis 12).

O nome anterior do patriarca era אברם, Avram, Abrão que significa "pai exaltado", mas depois o Eterno mudou o nome dele para אברהם, Avraham, Abraão, que significa "pai de uma multidão" (Bereshit Gênesis 17:4,5), de uma multidão de goim pela fé, pela circuncisão do coração.

Vejam como o Eterno igualou iehudim ve goim como filhos de Avraham Avinu pela fé:

"...porque eu vos digo que mesmo destas pedras D'us pode suscitar filhos a Avraham, Abraão." (Mattiahu, Mateus 3:9).

E se o Eterno pode suscitar filhos a Avraham das próprias pedras (Mattiahu, Mateus 3:7-10), como nos disse Yochanan, João quanto mais do meio dos goim, gentios.

É interessante notar que quando o Eterno disse para Avraham que o mesmo seria pai de muitas nações, no original hebraico consta o termo GOIM para referir-se ao termo "nações", e sabemos que goim são todos os gentios, portanto o Eterno fez de Avraham o PAI DE UMA MULTIDÃO DE GENTIOS. Barukh HaShem!!!!!!!
Logo, todos que têm essa mesma fé no único D'us, como tinha Avraham avinu também são filhos do patriarca pelo DNA metafísico, isto é, pela mesma fé monoteísta no Adonai Echad. Veja o texto original de Bereshit:

אני הנה בריתי אתך והיית לאב המון גוים׃ ולא־יקרא עוד את־שמך אברם והיה שמך אברהם כי אב־המון גוים נתתיך׃

"Quanto a mim, eis o meu concerto contigo é, e serás o pai de uma multidão de גוים, goim (gentios) nações; E não se chamará mais o teu nome Avram (Abrão), mas Avraham (Abraão) será o teu nome; porque por pai da multidão de גוים, goim (gentios) nações te tenho posto." (Bereshit Gênesis 17:4,5).

E em nossos dias temos visto essa palavra de HaShem se cumprir entre as nações, entre os goim, os gentios. Amén ve amén!

Portanto, os crentes da ala da kehilá de Yeshua pertencente aos goim, gentios pela fé são também filhos de Avraham Avinu. (Rom. 4:16-24).

Barukh Atá Adonai Eloheinu Melech ha olam ve barukh Yeshua ha Mashiach Melech ha
iehudim!!!!!!!

. A brit milah apenas da carne e a do coração.

É evidente que a brit milah, circuncisão do coração feita por Yeshua tanto em judeus como em gentios em contraste com a brit milah da carne apenas era a que Shaul, Paulo se referia quando disse:

"Porque nós somos os circuncisos, nós que adoramos pelo Ruach HaShem, Espírito de D'us e que fazemos do Messias Yeshua nossa confiança!" (Filipenses 3:3)

E esses gentios que seguem a Yeshua observando o judaísmo bíblico ou completo, que é o judaísmo messiânico, não estão obrigados a fazer brit milah, mesmo sendo eles judeus messiânicos por religião, pois como diz o livro de Atos no capítulo 15 (quinze) eles estão apenas subordinados as leis de Nôach, ou Leis Noéticas, todavia se mesmo assim quiserem se circuncidar podem fazê-lo, mas não com o intuito de merecer a salvação por esse ato, conforme diz o judeu Shaul, Paulo em Gálatas 5:2-6; 6:15. E ainda hashaliach Shaul, Paulo o emissário recomenda que tanto judeus como gentios fiquem como foram chamados, isto é, que judeus permaneçam como judeus e gentios como gentios no que se refere a circuncisão. (1 Coríntios 7:18-20).

Não estou com isso invalidando a brit milah na carne não, mas sim enfatizando que de nada adianta alguém ter feito brit milah na carne se não fez também no coração. Mas infelizmente isso é o que mais se vê por aí, principalmente na internet, pelos chamados "patruleiros de plantão", os quais se acham mais judeus do que os outros, por serem judeus através da brit milah na carne, muito embora eles demonstrem, pelas suas atitudes, que na realidade ainda não passaram pela circuncisão do coração.

. Os goim não estão obrigados a fazer a brit milah da carne.

Por que Shaul, Paulo disse que os goim, gentios que já seguem a Yeshua não estão obrigados a fazerem a brit milah, circuncisão?

A resposta a isso se deve ao fato de alguns crentes pertencentes a ala da kehilá de Yeshua da circuncisão terem obrigado, por intolerância religiosa, aos gentios crentes em Yeshua a fazerem brit milah, sob pena de não poderem ser salvos. Confiram o texto em que isso é mencionado na Brit ha Chadashah:

"Entretanto, alguns homens desceram de Yehudah, Judá para Antioquia e começaram a ensinar aos irmãos: "Vocês não podem ser salvos a menos que se submetam à brit milah da forma prescrita por Moshe, Moisés". (Atos 15:1).

Daí houve a primeira Assembléia da kehilá de Yeshua para examinar a referida questão, cuja decisão foi de que os gentios não estavam obrigados a seguirem todas as regras da lei dada aos israelitas através de Moisés e sim as regras das leis de Nôach, Noé, regras essas que não inclui a brit milah. E essa decisão contribuiu para que os gentios não congregassem mais com os judeus. E em conseqüência disso eles foram perdendo as raízes judaicas que haviam na kehilá do primeiro século.

E por isso mesmo Shaul, Paulo em outros textos declara que os gentios não estão obrigados a fazerem circuncisão (Gálatas 5:2-6; 6:15). E ainda disse que se eles deixassem circuncidar o Mashiach de nada lhes serviria, porque nesse caso eles estariam circuncidando-se para serem salvos e não por já serem salvos, conforme contexto na citação acima de Atos 15, verso 1 (um).

Por isso digo que os gentios crentes em Yeshua não necessitam de fazer brit milah, porém se a fizerem sem o propósito de merecerem a salvação ou de justificarem-se diante de D'us, então não há problema algum nisso, porque todos, judeus e gentios, circuncidados ou não, que crêem em Yeshua já receberam a salvação pela fé nele e não passarão por condenação se assim permanecerem. (Yochanan, João 3:16).

. Os judeus messiânicos deram origem ao cristianismo.

Apesar de ter se distanciado muito de suas raízes judaicas, o cristianismo originou-se do judaísmo messiânico. Porque os emissários que espalharam as boas novas de salvação em Yeshua por todo o mundo eram judeus messiânicos. Também as cerca de 120 pessoas sobre as quais desceu o Ruach HaShem, Espírito de D'us no dia de Shavuot, eram todas judias messiânicas. (Atos 1:15; 2:1). E os primeiros 3000 indivíduos que reconheceram Yeshua como o verdadeiro Mashiach, através da pregação do judeu messiânico Keipha, Pedro eram todos judeus tradicionais antes desse acontecimento, mas que depois disso passaram a ser também judeus messiânicos. (Atos 2:39-41).

Somente a partir de Atos capítulo 10 (dez) as boas novas chegaram também até aos goim, gentios, quando Cornélio e sua família se converteram ao judaísmo messiânico em Cesaréia. Mas a kehilá de Yeshua ainda era uma só, isto é, uma vertente do judaísmo, onde os seguidores de Yeshua continuaram a observar as leis oriundas da Torah. E até então judeus e gentios congregavam juntos, crendo em Yeshua como o verdadeiro Mashiach e praticando o judaísmo bíblico.

E foi em Antioquia que os talmidim, discípulos de Yeshua foram chamados pela primeira vez de CRISTÃOS, termo esse derivado de CRISTÓS, tradução para o grego do termo hebraico MASHIACH, que significa UNGIDO e que em português quer dizer MESSIAS. (Atos 11:26).

. Objetivos principais da lei que provem da Torah, da instrução.

Abaixo apresento alguns objetivos principais porque HaShem outorgou a lei a Moshe:

1) Para revelar não apenas aos israelitas, mas também aos gentios que Ele, HaShem é o único D'us Verdadeiro, Justo, Santo, Infalível, Onisciente, Onipotente, Onipresente, Eterno, etc., etc., etc...

2) Para que tanto judeus como gentios ficassem encerrados debaixo do pecado, isto é, condenados, pois as Escrituras dizem, "não há um justo se quer, porque todos se desviaram", pois ninguém conheceria o pecado se a lei não o revelasse.

3) Para que através da lei o ser humano tomasse conhecimento da necessidade que tem de estabelecer um relacionamento com o seu Criador; e também através dessa mesma lei ele encontre o caminho para se relacionar com D'us.

4) Para que essa mesma lei servisse de testemunho da justificação pela fé, para os que crêem em Yeshua como seu Mashiach, Salvador e Redentor; e também como o próprio Caminho para D'us, a Verdade e a Vida.

Esses são apenas alguns objetivos de D'us ao ter outorgado a lei contida na Torah à Moshe, conforme já falei.

E agora vou provar que nem mesmo os próprios judeus conseguem cumprir todas as mitzvot, ordenanças que constam dessa lei descrita na Torah, quanto mais os gentios:

1) Disse Keipha, Pedro no seu discurso na grande contenda sobre a questão da lei de Moshe com relação aos gentios:

"Então, por que vocês estão tentando D'us agora, ao colocar um jugo sobre o pescoço dos talmidim, discípulos que NEM NOSSOS PAIS NEM NÓS TIVEMOS FORÇAS PARA CARREGAR?" (Atos 15:10).

Notem que Pedro era judeu de nascimento e aqui falava sobre ele e os antepassados de toda nação israelita, que não tiveram forças para carregar o jugo pesado da lei da Torah.

E o que ele diz aqui é que ninguém se salva por cumprir mitzvot, ordenanças da lei. Mas alguns da circuncisão, ou seja, alguns judeus que seguiam a Yeshua diziam exatamente o contrário, isto é, que se os gentios não fizessem brit milá, circuncisão e não seguissem os preceitos da lei da Torah, não poderiam se salvar.

2) Quando Shaul, Paulo resistiu a Pedro, quando este não andava corretamente, ele disse:

"... se você, que é judeu, vive como goi, gentio, e não como judeu, por que está forçando os goym, gentios a viverem como judeus? Somos judeus por nascimento, e não goim, gentios pecadores; mesmo assim, percebemos que a pessoa não é declarada justa por D'us com base na observância legalista dos mandamentos da Torah, mas por meio da fidelidade decorrente da confiança no Mashiach Yeshua. Portanto, nós também devemos depositar nossa confiança no Mashiach Yeshua e sermos fiéis a ele, para podermos ser declarados justos com base na fidelidade decorrente da confiança no Messias, e não na observância legalista dos mandamentos da Torah. Pois mediante a observância legalista das mitzvot, ordenanças da Torah NINGUÉM SERÁ DECLARADO JUSTO [Tehilim, Salmos 143:2]..." (Gálatas 2:11-21 e todo capítulo 3).

É muito interessante essa expressão de Shaul, Paulo:

"... se você, que é judeu, vive como goi, gentio, e não como judeu, por que está forçando os goim, gentios a viverem como judeus?"

Isso quer dizer que mesmo Keipha, que foi chamado para anunciar as boas novas de salvação em Yeshua aos iehudim, judeus não vivia mais como um judeu, isto é, como os demais judeus que confiavam na forma legalista de observar as mitzvot, ordenanças da lei proveniente da Torah. Mas sim como uma nova criatura que é declarada justa por D'us, pela fidelidade e confiança no Messias.

. Dois lados da lei divina.

Vejam aqui os dois lados da lei divina:

1) O lado apenas legal da lei:

O que se pode entender sobre o lado apenas legal da lei?

O lado somente legal da lei é aquele em que se cumpre as mitzvot, ordenanças apenas com intenções formalistas ou legalistas da lei, onde são valorizados mais os lados religiosos, cerimoniais e aparentes, aqueles cujo louvor vem dos homens e não de D’us, conforme nos fala Shaul, Paulo:

“Por isso, não permitam que ninguém os julgue em relação ao que comem e bebem, ou com relação a um festival judaico, ao Rosh-Hodesh ou Shabat. Essas são sombras do que virá; o corpo, porém, é do Mashiach.” (Colossenses 2:16,17) Comprovem isso nos seguintes versículos:

Romanos 9:30-33; 10:1-13, 17-21; 11:32; Gálatas 3:1-29; 4:21-31; 5:1-14,17,19-21; 6:12,13.

Ora, o cumprimento apenas legalista da lei não tem o poder de nos livrar do domínio da velha natureza carnal, a qual opera contra a nossa natureza espiritual.

Por isso, Shaul, Paulo chama de carnais todos os crentes que se preocupam apenas com o cumprimento legalista da lei.

2) E o lado moral da lei:

E o que se pode entender sobre o lado moral da lei?

O lado moral da lei é aquele em que se cumpre as mitzvot, ordenanças de kavaná, isto é, de intenções do coração, onde são valorizados mais os lados psicológicos e espirituais da lei divina, aqueles cujo louvor vem apenas de D’us e não dos homens. Por cujo motivo Yeshua disse que não recebia glórias (louvor) de homens e sim de D’us, pois ele cumpria as mitzvot de kavaná. E sobre esse lado psicológico e espiritual da lei divina Shaul, Paulo dava mais ênfase, comprovem isso nos seguintes versículos:

Romanos 2:28,29; Gálatas 5:6,16,18,22-25; 6:14-16; Filipenses 3:3; Colossenses 2:11; 3:10,11.

E por isso, Shaul, Paulo chama de espirituais todos os crentes que cumprem a lei de kavaná, isto é, de intenção, do coração ou da alma e do espírito, aqueles que andam em espírito, conforme referências acima.

Conheçam mais sobre o Judaísmo Messiânico na Biblioteca Judaica Messiânica do site Yeshua Sar Shalom.

E finalizando esse tópico apresento a vocês esses testemunhos de judeus que identificaram Yeshua como sendo o verdadeiro Mashiach profetizado no Tanakh:

Depois de uma dramática visão, um judeu que estudou a Bíblia por muitos anos como grande literatura, então, finalmente admitiu que Yeshua (Jesus) é realmente o Messias de Israel. Ele tornou-se uma pessoa nova e melhor, mas depois percebeu que a sua identidade judaica ainda é muito importante para D'us!
Glenn Blank é hoje professor de Ciência em Computador bem como o rabino messiânico de Beit Simcha (www.beitsimcha.org) em Allentown, Pensilvânia. O clipe é de um programa de TV, a verdade viva, organizada pelo Pastor Larry Burd, em WBPH 60 em Belém, PA.


Vejam nesse vídeo o testemunho de uma família israelita residente em Israel, que reconheceu Yeshua como o verdadeiro Mashiach.

E vejam também nesse outro vídeo um ofício religioso de Shacharit Shabat e uma entrevista com o Rabbi Ya'acov Farber da sinagoga messiânica Congregation Melech Yisrael, cituada na cidade de Toronto - Canadá.

Lehitraot.

פולוס וואלי ✡

Nota sobre minha assinatura:

"Origem judaica dos sobrenomes Valle, Vale.

פולוס - Polos / Paul / Paulo

וואלי - Valley / Valle / Vale

Porque o meu sobrenome Vale deveria ser com duas letras "L", mas por um erro do Cartório só tem uma.

Portanto, abaixo faço referência a um Rabino de renome com esse sobrenome Valle (וואלי):