segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O mistério da novilha vermelha





Parashat Chukat - Estatuto - פרשת חקת

Leitura da Torah:
Bamidbar, Números 19:1-22:1

Esta Parashah descreve o estatuto do sacrifício da novilha vermelha.

Eis aqui o que consta nesse estudo sobre a novilha vermelha no site do Intituto do Templo:

"El Misterio de la vaca roja está por encima de la comprensión humana

Los grandes Sabios de Israel consideran este precepto como el misterio más profundo de la Torá, ya que lo rodea una gran contradicción enigmática: aunque las cenizas de la vaca roja tengan el poder inexplicable para purificar a todos los que han sido considerados impuros, el contacto con las mismísimas cenizas para aquellos que están puros tiene el efecto contrario... los hace impuros!

El rey Salomón, que fue el más sabio de todos los seres humanos que jamás vivió, comprendió cada aspecto de la creación de D-os. La tradición relata que él incluso conocía los idiomas de todos los animales. Mas él no pudo entender el secreto de la vaca roja, y después de contemplarlo, él declaró "Dije, 'llegaré a ser sabio, pero esta lejos de mí'" (Ecc. 7:23).”
 
O mistério da novilha vermelha nem mesmo foi compreendido pelo sábio Shlomô ha melech, o rei Salomão, conforme consta no site do Instituto do Templo.

O sacrifício da novilha vermelha é o único sacrifício instituído pelo Eterno, para que fosse realizado fora do משכן, Mishkan, Tabernáculo e posteriormente do בית המקדש, Beit ha Mikdash, Templo, o qual simboliza o sacrifício do משיח, Mashiach, que ocorreu também fora do mesmo.
 
As próprias Escrituras dão a interpretação desse mistério, quando dizem que o משיח, Mashiach se fez maldito ou impuro por nós pecadores ao se oferecer como sacrifício vivo e eficaz, fora do arraial, no monte caveira e não no בית המקדש, Beit ha Mikdash, Templo, para nos tornar limpos ou puros diante do Eterno, Nosso Elohim. (Devarim, Deuteronômio 21:23).

Confira isso nesse meu comentário da Parashah - כִּי-תֵצֵא - Ki Tetse - Quando saíres (Devarim, Deuteronômio 21:10-25:19), onde consta um texto que se cumpriu na vida do Mashiach, veja abaixo:

"Se um homem tiver cometido um pecado digno de morte, e for morto, e o tiveres pendurado num MADEIRO, o seu cadáver não permanecerá toda a noite no MADEIRO, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto aquele que é pendurado é MALDITO de D'us. Assim não contaminarás a tua terra, que o Adonai Eloheikha, Senhor teu D'us te dá em herança." (Devarim, Deut. 21:22 e 23).

Ainda que Yeshua nunca tenha cometido pecado, todavia ele teria que ser condenado como se fosse um pecador, pois essa condenação seria o preço da redenção do ser humano, primeiro "hayehudim ve gam hagoyim", os judeus e também os gentios.

Yeshua foi pendurado num MADEIRO, por isso ele se tornou MALDITO!

Ele teria de ser considerado MALDITO por nossa culpa, conforme nos diz Yeshayahu ha navi. (Yeshayah, Isaías 53:4-10; ). Vejam também o que diz a Brit ha Chadashah (Nova Aliança):

"O D'us de nossos pais ressuscitou a Yeshua, ao qual vós matastes, suspendendo-o no MADEIRO;" (Atos 5:30).

"Nós somos testemunhas de tudo quanto fez, tanto na terra dos judeus como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-o num MADEIRO." (Atos 10:39).

E o fato do condenado não poder permanecer no MADEIRO durante a noite também se cumpriu no Mashiach Yeshua, Ungido Salvador, conforme consta nesse texto da
ברית החדשה, Brit ha Chadashah, Nova Aliança:

(Yochanan, João 19:31-37).

Na minha maneira de entender, o fato das cinzas da novilha vermelha ter o poder de purificar a todos que estavam debaixo da הברית הראשונה, Ha Brit ha Rishonah, Primeira Aliança seria uma simbologia do poder purificador do sacrifício do משיח, Mashiach, o qual assumiu todos os nossos pecados e também a condenação por eles, para que nós fôssemos perdoados e purificados. E ao mesmo tempo essas mesmas cinzas ter o poder de tornar impuros aqueles que já estavam puros pode significar que ninguém estava isento da culpa da morte da novilha vermelha, que teria de ser morta pelos pecados de toda a congregação, novilha essa, que simboliza המשיח, o Mashiach morrendo por todos nós (judeus e gentios), porque foi pelas nossas transgressões que ele, המשיח, o Mashiach foi atingido, conforme nos diz ישעיהו הנביא, Yeshaiahu ha navi, o profeta Isaías, no capítulo 53:5,6, do seu livro.

Mas, pode significar também, numa linguagem futurista, que aqueles que já se encontravam purificados seriam, nessa linguagem futurista, os que já estão justificado pelo sangue do Cordeiro, המשיח, o Mashiach; porque estes já estão debaixo da ברית החדשה, Brit ha Chadashah, do Novo Pacto (יִרְמְיָהוּ Yrmiahu, Jeremias 31:31-33; עִבְרִים, Hebreus 8:1-10; 9:11-24), por isso eles ao voltar para as práticas legalistas de purificação e justificação, através dos sacrifícios do Primeiro ou Antigo Pacto se tornam impuros de novo, pois ao fazer isso, eles estão invalidando o poder purificador e justificador do SACRIFÍCIO MAIOR, o do Mashiach. Mas, isso não quer dizer que nós não estejamos mais sob o sistema sacrificial não, ao contrário disso, porque é pelo poder do sacrifício do Mashiach, que somos purificados, justificados e perdoados de todo pecado.

Todavia, eu sei muito bem que os sacrifícios do Primeiro Pacto voltarão a serem oferecidos, quando o Beit ha Mikdash, Templo for reconstruído, porém eles não mais terão o mesmo efeito que tinham no Primeiro Pacto, mas apenas simbólicos ao SACRIFÍCIO MAIOR, o do משיח, Mashiach, conforme consta neste artigo do meu blog, cujo título é A Reconstrução do Templo e o Retorno dos Sacrifícios.

E para enriquecer esse tópico cito aqui um comentário da Parashat Chukat - Estatuto, feito pelo Rabino Eduardo Stein.

Lehitraot.

פולוס וואלי ✡ Polos Valley

Nota sobre minha assinatura:

"Origem judaica dos sobrenomes Valle, Vale.

פולוס - Polos / Paul / Paulo

וואלי - Valley / Valle / Vale

Porque o meu sobrenome Vale deveria ser com duas letras "L", mas por um erro do Cartório só tem uma.

Portanto, abaixo faço referência a um Rabino de renome com esse sobrenome Valle (וואלי):


sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

As vezes é necessário cairmos, para sermos provados, purificados e embranquecidos



Texto básico: 

“E alguns dos entendidos cairão, para serem provados, purificados, e embranquecidos, até ao fim do tempo, porque será ainda para o tempo determinado.” (Daniel 11:35).

O que significa cair?

Falando de pessoas, perder o equilíbrio, levar uma queda: ele quis correr e caiu. Atirar-se: cair aos pés de alguém. 
Precipitar-se: cair sobre os inimigos. 
Tornar-se: cair doente. 
Ser atacado (de mal súbito): cair em síncope, em coma, em estado de choque. 
Ser aprisionado: cair numa armadilha, cair em mãos inimigas. 
Sucumbir: caiu no campo de honra. 


Frases com o verbo cair: 

O sucesso é um professor perverso. Ele seduz as pessoas inteligentes e as faz pensar que jamais vão cair. - Bill Gates 

Uma prova de que D'us esteja conosco não é o fato de que não venhamos a cair, mas que nos levantemos depois de cada queda. - Teresa de Ávila 


O cair pode trazer várias consequências, para quem sofre a queda, tais como: 

a) Ser motivo de לשון הרע - lashon hara, que é língua má, ou língua maledicente, que faz fofoca, piada, zombaria e chacota, por parte dos ímpios, que ao agirem assim, eles se enquadram literalmente a esses textos bíblicos:

"Pois eis que os ímpios armam o arco, põem a sua flecha na corda, para atirarem, às ocultas, aos retos de coração. Quando os fundamentos são destruídos, que pode fazer o justo? O Eterno está no seu santo templo, o trono do Eterno está nos céus; os seus olhos contemplam, as suas pálpebras provam os filhos dos homens. O Eterno prova o justo e o ímpio; a sua alma odeia ao que ama a violência. Sobre os ímpios fará chover brasas de fogo e enxofre; um vento abrasador será a porção do seu copo."
 (Tehilim, Salmos 11:2-6).

"O homem perverso levanta a contenda, e o difamador separa os maiores amigos."

(Mishley, Provérbios 16: 28).

Porém, o que muitas pessoas não sabem é o fato desse pecado de לשון הרע - lashon hara, que é língua maledicente, que faz fofoca ser tão grave diante do Eterno, nosso D'us quanto qualquer outro pecado. Por isso mesmo convém atentar bem para o que disse Yeshua (Jesus) sobre quem está apto para atirar a primeira pedra: 

"E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela."

b) Mas também ser motivo de misericórdia, socorro e orações, por parte dos justos, que ao fazerem isso, eles se alinham perfeitamente com esse texto bíblico: (Tehilim, Salmos 15:1,3).

 "Quem, Eterno, habitará no teu tabernáculo? Quem há de morar no teu santo monte? ... Aquele que não difama com sua língua, não faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo." 

Dois exemplos de queda de servos de D'us, cujo propósito do Eterno foi de provar, purificar e embranquecer os mesmos: 

 I - כיפא השליח, Keifa hashaliach, Pedro o emissário. 

A queda de Pedro, em negar Yeshua é bem conhecida, contudo se faz necessário dar ênfase aos fatores que levaram o servo do Eterno a cair, para que ele fosse provado, purificado e embranquecido: 

Texto bíblico desse episódio: (Lucas 22: 31-34; 45-55).


Eis aqui um estudo sobre a queda de Pedro: 

 "São pelo menos cinco fatores que levaram Pedro a negar a Yeshua (Jesus). 

1º - Começou com o orgulho, a soberba e a incredulidade. 

“Ele, porém, respondeu: Senhor, estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte. Mas Yeshua lhe disse: Afirmo-te, Pedro, que, hoje, três vezes negarás que me conheces, antes que o galo cante.” (Lucas 22:33,34). 

- Orgulho – conceito exagerado de si próprio. Pedro confiou muito em si mesmo pensou que podia tudo, através da força física, ele não sabia da gravidade do momento que estava vivendo. Pedro acreditava demais em si mesmo, e há situações em que dependemos muito de uma força externa, isto é, de D'us, não conseguimos vencer sozinhos. 

- Soberba - achar que era o melhor de todos os emissários. "D'us resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes." (Tiago 4:6). 

- Incredulidade – Pedro não acreditava que tudo o que o Senhor estava dizendo ia acontecer, e por isso se achava autoconfiante. A autoconfiança nem sempre é o caminho, precisamos aprender a depender de D'us nos momentos de incertezas a acreditar mais nas palavras do Senhor. 

2º - Seguiu na falta de oração. 

“Levantando-se da oração, foi ter com os discípulos, e os achou dormindo de tristeza.” (Lucas 22:45). A falta de oração pode levar o homem ao sono espiritual, ao comodismo e até ao naufrágio na fé. Porque não estavam orando, Yeshua disse a eles “Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação.” A Bíblia diz no evangelho de Mateus 26:40-45, que por três vezes Yeshua o incentivou a orar, mas ele continuou a dormir por isso negou o Senhor. A oração é imprescindível na vida de qualquer ser humano e sem oração o naufrágio é inevitável. 

3º - Avançou mais ainda com a tentativa de lutar contra as “trevas” com as armas carnais. “Um deles feriu o servo do sumo sacerdote e cortou-lhe a orelha.” (Lucas 22.50). O versículo acima diz que um deles feriu o servo do sumo sacerdote, referindo-se a Pedro, conforme disse o emissário João, no capítulo 18:10 de seu evangelho. Quando o homem está cheio de si confia em suas próprias forças, sabedoria, poder financeiro, na justiça humana e em muitas outras coisas, acha que pode resolver tudo sozinho e aí está o grande perigo. 

4º - Confirmou-se seguindo a Yeshua de longe. “Então, prendendo-o, o levaram e o introduziram na casa do sumo sacerdote. E Pedro seguia-o de longe.” (Lucas 22.54). Seguir a Yeshua de longe é uma demonstração de vergonha de ser crente, medo de ser identificado com o Messias, medo de ser taxado como pessoa antiquada, desatualizada, "zé povinho" e "pé de chinelo". Seguir a Yeshua de longe é uma forma de covardia. Pessoa covarde é aquela que é desleal, traiçoeira, medrosa e que não assume o que realmente acredita. Porém, seguir a Yeshua não é ser nada disso, antes é ser um súdito do reino de D'us, é ser um representante dele aqui nesse mundo, é ser um salvo da condenação eterna. 

5º - Culminou com a comunhão com as trevas. “E, quando acendiam fogo no meio do pátio e juntos se assentaram, Pedro tomou lugar entre eles.” (Lucas 22:55). Essa é uma grande oportunidade para negar a Yeshua, o assentar-se à roda dos escarnecedores, pois ali todos são inimigos dele, são os críticos mal intencionados, com linguagem maliciosa e ofensiva, portanto estar numa roda como essa é se candidatar a derrota com certeza. Comungar com as trevas é participar e concordar com seus feitos é dizer sim ao pecado. Comungar com as trevas é estar de mãos dadas com o inimigo de nossas almas, que quer a qualquer custo a nossa derrota e nos levar para junto de si." 

Créditos.

O reencontro de כיפא השליח, Keifa hashaliach, Pedro o emissário com Yeshua, após o ter negado. 

Antes de haver caído, ele se achava o melhor de todos os emissários, mas agora ele se acha o pior dentre eles. Antes de cair, ele era orgulhoso, soberbo, prepotente e intolerante, mas agora, ele é modesto, humilde, insignificante e tolerante para com os fracos. Ele disse que amava a Yeshua até a morte, mas agora ele estava diante do seu Rabino (Mestre) de novo e tenta responder a ele a seguinte pergunta:

 "Depois de comerem, Yeshua perguntou a Simão Pedro: "Simão, filho de João, você me ama realmente mais do que estes? " Disse ele: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Disse Yeshua: "Cuide dos meus cordeiros". Novamente Yeshua disse: "Simão, filho de João, você realmente me ama? " Ele respondeu: "Sim, Senhor tu sabes que te amo". Disse Yeshua: "Pastoreie as minhas ovelhas". Pela terceira vez, ele lhe disse: "Simão, filho de João, você me ama? " Pedro ficou magoado por Yeshua lhe ter perguntado pela terceira vez "Você me ama? " e lhe disse: "Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo". Disse-lhe Yeshua: "Cuide das minhas ovelhas." (Yochanan, João 21:15-17).

Yeshua perguntou três vezes se Pedro o amava, por dois motivos: 

1) Porque Pedro o negou três vezes antes que o galo cantasse, conforme Yeshua havia predito, cuja intenção era de fazer Pedro se lembrar disso, e mostrar que antes da sua queda Yeshua já sabia que ele o negaria três vezes. 

2) Porque, conforme o texto grego, nas duas perguntas anteriores Yeshua usou o verbo "amar", mas como Pedro só respondia com o verbo "gostar", então na terceira vez Yeshua usou o verbo "gostar", porque já que Pedro não lhe podia responder na mesma altura, então Yeshua desceu ao seu nível, usando a forma mais comum de se relacionar com o próximo. 

 Texto grego: 

15 ὅτε οὖν ἠρίστησαν λέγει τῷ Σίμωνι Πέτρῳ ὁ Ἰησοῦς· Σίμων Ἰωάννου, ἀγαπᾷς με πλέον τούτων; λέγει αὐτῷ· ναί κύριε, σὺ οἶδας ὅτι φιλῶ σε. λέγει αὐτῷ· βόσκε τὰ ἀρνία μου. 16 λέγει αὐτῷ πάλιν δεύτερον· Σίμων Ἰωάννου, ἀγαπᾷς με; λέγει αὐτῷ· ναί κύριε, σὺ οἶδας ὅτι φιλῶ σε. λέγει αὐτῷ· ποίμαινε τὰ προβάτια / πρόβατά μου. 17 λέγει αὐτῷ τὸ τρίτον· Σίμων Ἰωάννου, φιλεῖς με; ἐλυπήθη ὁ Πέτρος ὅτι εἶπεν αὐτῷ τὸ τρίτον· φιλεῖς με; καὶ εἶπεν / λέγει αὐτῷ· κύριε, πάντα σὺ οἶδας, σὺ γινώσκεις ὅτι φιλῶ σε. λέγει αὐτῷ [ὁ] Ἰησοῦς· βόσκε τὰ προβάτια / πρόβατά μου. (ΚΑΤΑ ΙΩΑΝΝΗΝ 21:15-17).

 Na primeira vez, Yeshua usou o verbo: ἀγαπᾷς με - agapas me - amas-me? 
Resposta de Pedro: φιλῶ σε - filo se - gosto de você 

Na segunda vez, Yeshua também usou o mesmo verbo: ἀγαπᾷς με - agapas me - amas-me? 
Novamente Pedro lhe respondeu com o verbo: φιλῶ σε - filo se - gosto de você 

Mas na terceira vez, Yeshua usou o verbo: φιλεῖς με - fileis me - gosta de mim? 
Então, Pedro respondeu: "Tu sabes todas as coisas, tu sabes que φιλῶ σε - filo se - gosto de você." 

E em todas as vezes, Yeshua disse a Pedro para ele apascentar as ovelhas dele, porque agora, Pedro estava preparado para isso, mas antes de cair, ele ainda não estava. E o mais interessante de tudo isso, é que, Yeshua não tratou a Pedro como a maioria de nós tratamos alguém que tenha caído, isto é, com desprezo e acusação, mas ao crontrário disso, ele delegou poderes a Pedro sobre sua kehilá, congregação, sinagoga ou igreja.  

II - שאול השליח, Shaul hashaliach, Paulo o emissário. 

A história do espinho na carne de Paulo é bem conhecida da maioria daqueles que conhecem as Escrituras (Nova Aliança), mas ninguém pode afirmar categoricamente qual seria esse espinho. Contudo, o próprio texto explica o que era esse espinho, ou seja, era a "legalidade" de um mensageiro de HaSatan, Satanás, para esbofetear de alguma forma o servo do Eterno, mas isso com a devida permissão do Eterno, por isso mesmo era uma "legalidade", cujo objetivo seria de manter Paulo na condição de humildade, conforme referências bíblicas abaixo: 

"E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim." (2 Coríntios 12:7-8). 


Quando o Eterno recusou tirar o espinho da vida de שאול השליח, Shaul hashaliach, Paulo o emissário, ele ofereceu esta explicação: 

"A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza" (2 Coríntios 12:9). 

A graça contradiz o merecer. Se Paulo, no passado, se julgou autossuficiente, ele não continuou assim (Filipenses 3:4-11). Nas tribulações, ele aprendeu depender da graça do Senhor. Quando sentimos que temos tudo sob controle por causa da nossa própria capacidade, facilmente esquecemos do Eterno. Nas horas de maior fraqueza, quando sentimos incapazes de resolver os nossos problemas sozinhos, tendemos a voltar para D'us e nos entregar à poderosa mão dele. Nossa inteligência não nos basta. Nossos recursos financeiros não nos bastam. Nossos amigos não conseguem preencher as nossas necessidades. A graça de D'us nos basta, e o poder dele se manifesta através da nossa fraqueza. É exatamente isso que Paulo entendeu: 

"De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder do Mashiach" (2 Coríntios 12:9). 

Paulo fez uma afirmação difícil de entender, e mais difícil ainda de aplicar na nossa vida: 


Atrás dessas palavras enigmáticas encontramos algumas lições importantes e edificantes. Vamos procurar entender o que שאול השליח, Paulo o emissário disse e como aplicar esse ensinamento quando enfrentarmos dificuldades. Porque estar de pé nem sempre significa estar aprovado, purificado e embranquecido diante do Eterno, porque Ele conhece o encoberto, mesmo aquilo que esteja oculto de nós próprios, por estarmos cegos pelo pecado. Portanto, nem sempre que caímos significa que fomos derrotados e reprovados definitivamente, porque algumas vezes é necessário cairmos, para que o Eterno nos prove, nos purifique, nos embranqueça e por fim nos levante de novo, através do seu poder. Amén! 

 “Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão.” (Daniel 12:10).

Lehitraot.

Polos Valley ✡ פולוס וואלי

Nota sobre minha assinatura:

Origem judaica dos sobrenomes Valle, Vale.

פולוס - Polos / Paul / Paulo

וואלי - Valley / Valle / Vale

Porque o meu sobrenome Vale deveria ser com duas letras "L", mas por um erro do Cartório só tem uma.

Portanto, abaixo faço referência a um Rabino de renome com esse sobrenome Valle (וואלי):