segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O mistério da novilha vermelha





Parashat Chukat - Estatuto - פרשת חקת

Leitura da Torah:
Bamidbar, Números 19:1-22:1

Esta Parashah descreve o estatuto do sacrifício da novilha vermelha.

Eis aqui o que consta nesse estudo sobre a novilha vermelha no site do Intituto do Templo:

"El Misterio de la vaca roja está por encima de la comprensión humana

Los grandes Sabios de Israel consideran este precepto como el misterio más profundo de la Torá, ya que lo rodea una gran contradicción enigmática: aunque las cenizas de la vaca roja tengan el poder inexplicable para purificar a todos los que han sido considerados impuros, el contacto con las mismísimas cenizas para aquellos que están puros tiene el efecto contrario... los hace impuros!

El rey Salomón, que fue el más sabio de todos los seres humanos que jamás vivió, comprendió cada aspecto de la creación de D-os. La tradición relata que él incluso conocía los idiomas de todos los animales. Mas él no pudo entender el secreto de la vaca roja, y después de contemplarlo, él declaró "Dije, 'llegaré a ser sabio, pero esta lejos de mí'" (Ecc. 7:23).”
 
O mistério da novilha vermelha nem mesmo foi compreendido pelo sábio Shlomô ha melech, o rei Salomão, conforme consta no site do Instituto do Templo.

O sacrifício da novilha vermelha é o único sacrifício instituído pelo Eterno, para que fosse realizado fora do משכן, Mishkan, Tabernáculo e posteriormente do בית המקדש, Beit ha Mikdash, Templo, o qual simboliza o sacrifício do משיח, Mashiach, que ocorreu também fora do mesmo.
 
As próprias Escrituras dão a interpretação desse mistério, quando dizem que o משיח, Mashiach se fez maldito ou impuro por nós pecadores ao se oferecer como sacrifício vivo e eficaz, fora do arraial, no monte caveira e não no בית המקדש, Beit ha Mikdash, Templo, para nos tornar limpos ou puros diante do Eterno, Nosso Elohim. (Devarim, Deuteronômio 21:23).

Confira isso nesse meu comentário da Parashah - כִּי-תֵצֵא - Ki Tetse - Quando saíres (Devarim, Deuteronômio 21:10-25:19), onde consta um texto que se cumpriu na vida do Mashiach, veja abaixo:

"Se um homem tiver cometido um pecado digno de morte, e for morto, e o tiveres pendurado num MADEIRO, o seu cadáver não permanecerá toda a noite no MADEIRO, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto aquele que é pendurado é MALDITO de D'us. Assim não contaminarás a tua terra, que o Adonai Eloheikha, Senhor teu D'us te dá em herança." (Devarim, Deut. 21:22 e 23).

Ainda que Yeshua nunca tenha cometido pecado, todavia ele teria que ser condenado como se fosse um pecador, pois essa condenação seria o preço da redenção do ser humano, primeiro "hayehudim ve gam hagoyim", os judeus e também os gentios.

Yeshua foi pendurado num MADEIRO, por isso ele se tornou MALDITO!

Ele teria de ser considerado MALDITO por nossa culpa, conforme nos diz Yeshayahu ha navi. (Yeshayah, Isaías 53:4-10; ). Vejam também o que diz a Brit ha Chadashah (Nova Aliança):

"O D'us de nossos pais ressuscitou a Yeshua, ao qual vós matastes, suspendendo-o no MADEIRO;" (Atos 5:30).

"Nós somos testemunhas de tudo quanto fez, tanto na terra dos judeus como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-o num MADEIRO." (Atos 10:39).

E o fato do condenado não poder permanecer no MADEIRO durante a noite também se cumpriu no Mashiach Yeshua, Ungido Salvador, conforme consta nesse texto da
ברית החדשה, Brit ha Chadashah, Nova Aliança:

(Yochanan, João 19:31-37).

Na minha maneira de entender, o fato das cinzas da novilha vermelha ter o poder de purificar a todos que estavam debaixo da הברית הראשונה, Ha Brit ha Rishonah, Primeira Aliança seria uma simbologia do poder purificador do sacrifício do משיח, Mashiach, o qual assumiu todos os nossos pecados e também a condenação por eles, para que nós fôssemos perdoados e purificados. E ao mesmo tempo essas mesmas cinzas ter o poder de tornar impuros aqueles que já estavam puros pode significar que ninguém estava isento da culpa da morte da novilha vermelha, que teria de ser morta pelos pecados de toda a congregação, novilha essa, que simboliza המשיח, o Mashiach morrendo por todos nós (judeus e gentios), porque foi pelas nossas transgressões que ele, המשיח, o Mashiach foi atingido, conforme nos diz ישעיהו הנביא, Yeshaiahu ha navi, o profeta Isaías, no capítulo 53:5,6, do seu livro.

Mas, pode significar também, numa linguagem futurista, que aqueles que já se encontravam purificados seriam, nessa linguagem futurista, os que já estão justificado pelo sangue do Cordeiro, המשיח, o Mashiach; porque estes já estão debaixo da ברית החדשה, Brit ha Chadashah, do Novo Pacto (יִרְמְיָהוּ Yrmiahu, Jeremias 31:31-33; עִבְרִים, Hebreus 8:1-10; 9:11-24), por isso eles ao voltar para as práticas legalistas de purificação e justificação, através dos sacrifícios do Primeiro ou Antigo Pacto se tornam impuros de novo, pois ao fazer isso, eles estão invalidando o poder purificador e justificador do SACRIFÍCIO MAIOR, o do Mashiach. Mas, isso não quer dizer que nós não estejamos mais sob o sistema sacrificial não, ao contrário disso, porque é pelo poder do sacrifício do Mashiach, que somos purificados, justificados e perdoados de todo pecado.

Todavia, eu sei muito bem que os sacrifícios do Primeiro Pacto voltarão a serem oferecidos, quando o Beit ha Mikdash, Templo for reconstruído, porém eles não mais terão o mesmo efeito que tinham no Primeiro Pacto, mas apenas simbólicos ao SACRIFÍCIO MAIOR, o do משיח, Mashiach, conforme consta neste artigo do meu blog, cujo título é A Reconstrução do Templo e o Retorno dos Sacrifícios.

E para enriquecer esse tópico cito aqui um comentário da Parashat Chukat - Estatuto, feito pelo Rabino Eduardo Stein.

Lehitraot.

פולוס וואלי ✡ Polos Valley

Nota sobre minha assinatura:

"Origem judaica dos sobrenomes Valle, Vale.

פולוס - Polos / Paul / Paulo

וואלי - Valley / Valle / Vale

Porque o meu sobrenome Vale deveria ser com duas letras "L", mas por um erro do Cartório só tem uma.

Portanto, abaixo faço referência a um Rabino de renome com esse sobrenome Valle (וואלי):


Postar um comentário